Cruzeiro recebe o Cuiabá para manter viva a esperança de acesso à Série A

Esperança. É o mínimo que o Cruzeiro pode dar a seu torcedor, na noite desta terça-feira (29), no Independência. Com reduzidas chances de acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, a equipe celeste recebe o Cuiabá, às 21h30, pela 32ª rodada da Série B.

Com 40 pontos, a Raposa entra em campo a nove do Juventude, o primeiro do G-4. Com 21 pontos em disputa – restam sete jogos ao Cruzeiro -, o time estrelado precisaria, segundo os matemáticos, de 100% de aproveitamento de agora em diante, fora outras combinações de resultados, para conseguir retornar à elite do futebol nacional.

E o mais frustrante. Se não conseguir um resultado positivo, o Cruzeiro pode celebrar seu centenário, no próximo sábado (2), com a quase certeza que passará mais um ano na segunda divisão, algo que nunca aconteceu por duas temporadas seguidas com um grande clube do país.

Contratado como o salvador da pátria, após trabalhados decepcionantes dos três treinadores anteriores, Luiz Felipe Scolari conseguiu garimpar pontos, que afastaram o time da zona de rebaixamento para a Série C. Mas, os dois pontinhos somados dos últimos nove voltaram a deixar o Cruzeiro mais perto do Z-4 do que do acesso. São cinco pontos de diferença para o Náutico, o 17º na tabela.

A equipe azul terá os retornos do goleiro Fábio e do atacante Rafael Sóbis, que cumpriram suspensão contra a Ponte Preta, na última rodada. Adversário desta noite, o Cuiabá é candidato direto a uma das vagas à Série A, em 2021. A equipe mato-grossense é a terceira colocada, com 50 pontos.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro x Cuiabá

Motivo: 32ª rodada da Série B

Estádio: Independência, em Belo Horizonte

Horário: 21h30

Árbitro: Thiago Luis Scarascati (SP)

Auxiliares: Neuza Ines Back (SP) e Daniel Luis Marques (SP)

Transmissão: Premiere e rádio Super 91,7 FM

Cruzeiro

Fábio; Raul Cáceres, Manoel, Ramon e Matheus Pereira; Adriano, Jadsom Silva e Régis; William Pottker, Airton e Rafael Sóbis. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Cuiabá

João Carlos; Rayner, Eduardo Kunde, Anderson Conceição e Romário; Nenê Bonilha, Matheus Barbosa e Elvis; Iago, Willians Santana e Maxwell. Técnico: Allan Aal

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: